Notícia publicada terça-feira, 17 de junho de 2014

Heavy Metal Breakdown: Olá Eduardo, obrigado pelo seu tempo e por nos dar o privilégio dessa conversa. Faça um resumo de você e de suas atividades.
Eduardo Custódio João Júnior: Grande JP e galera que acompanha o Heavy Metal Breakdown, espero que estejam todos bem e bangueando ! Eu que agradeço pela oportunidade! Bom, eu tenho 32 anos, resido na Baixada Santista, sou administrador de empresas e amante do bom, velho e imortal rock´n roll e como hobby sou vocalista de uma banda de Metal chamada Vetor, também oriunda aqui da Baixada Santista, isso já a uns quatorze anos (temos que encarar como hobby, já que nesse país, viver de Heavy Metal é mais difícil que aprender japonês em braile (risos).

HMB: E como é o cenário da música pesada no litoral paulista?
Eduardo: O cenário é muito qualificado em termos de músicos e bandas, o nível realmente é bem alto com bandas como Vulcano, Chemical Disaster, Heavenly Kingdom, Odum, Rygel, Dark Witch, Carnal Desire, Predatory, Infector, Parallax, Usina, Opus Tenebrae, Hugin Munin, Lei Seca, Cidadão Blindado, Abomydogs, Druídas e etc, uma infinidade de bandas dos mais variados estilos e de músicos da mais alta estirpe como os guitarristas Luiz Oliveira, Milton Medusa, Mauro Hector, os baixistas Zuzo Moussawer, Fabio Dubaixo, os bateristas Plínio Romero, Pedro Tinello e outros. Todos, bandas e músicos, com trabalhos sérios e de um nível bem alto, além dos oriundos da Baixada Santista que ganharam o mundo como Rodrigo BV (hoje na Inglaterra), Paulo Sosa (Tempestt), Bil Martins (Hellish War), Anibal Pontes (Ex Rygel), o próprio conhecido Edu Falaschi é daqui da Baixada Santista, mas a meu ver, hoje, o que realmente é muitas vezes desanimador na cena da Baixada, é a falta de apoio do público, que não comparece aos eventos, que não prestigia estas bandas e músicos. Antigamente tínhamos um sério problema por parte das casas especializadas, que não abriam as suas portas para bandas autorais, porém, aos poucos vejo que isto esta mudando com eventos acontecendo rotineiramente no Studio Rock, na Nova Tribal e no MWM Estúdio as principais casas da região, onde os responsáveis estão realmente abrindo as portas para os trabalhos de bandas autorais, o que a meu ver é o início de uma mudança de postura e conscientização destas casas e que deverá ocorrer também por parte do público. Essa “nova concepção” é uma coisa que deveria não ser restrita somente a Baixada Santista, mas sim a nível nacional, pois quem faz com que o cenário se desenvolva são as bandas autorais.

Leia a entrevista completa:
http://hmbreakdown.blogspot.com.br/2014/06/eduardo-custodio-joao-junior-e-preciso.html

O VETOR recentemente liberou uma nova série de vídeos acompanhando a gravação, confira:
https://www.youtube.com/watch?v=67S_wIs5fKU
https://www.youtube.com/watch?v=TkGl66Ah5mI
https://www.youtube.com/watch?v=6mmWtHbm3rc

Ouça uma música:

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/108501222″ params=”” width=” 100%” height=”166″ iframe=”true” /]

Sites relacionados:
www.facebook.com/vetormetal
www.twitter.com/vetormetal
www.metalmedia.com.br/vetor